domingo, 25 de março de 2007

George Harrison - All Things Must Pass

O ser humano é mesmo engraçado. Basta alguém importante, independente de seu ramo morrer, e pronto, todos querem saber mais a respeito do sujeito e sua obra. De certa forma acho isso até normal, já que a mídia em geral sempre dá um destaque especial a certos nomes, ainda mais em se tratando de um Beatle.

O que mais me espanta, é que até mesmo os fãs de George Harrison parecem acordar de uma hora para a outra enquanto ele partia dessa para outra. É algo instantâneo, bate um saudosismo, misturado a tristeza de perder alguém que um dia pertenceu ao maior fenômeno musical dos nossos tempos, os Beatles, ao mesmo tempo em que a minha caixa postal se entupia de e-mails pedindo um "Back In Time" com Harrison e um de seus clássicos.

Em se tratando de grandes álbuns, não poderíamos deixar de comentar aqui o magnífico "All Things Must Pass" de George Harrison. Antes mesmo de comprovarem o conteúdo musical do álbum, lançado em 1970, os críticos ficaram surpresos com a ousadia daquele, considerado o Beatle mais discreto, ser o primeiro deles a lançar um álbum, tão logo Paul Mc Cartney anunciasse a sua decisão de não mais trabalhar com a banda, no dia 10 de abril daquele ano. Outra coisa que também chamou muito a atenção, é que "All Things Must Pass" era um álbum triplo, que vinha condicionado num ‘Box’ com um livreto e pôster, o que para a época era também uma inovação, mesmo em se tratando de um ex-Beatle.

Conferido e comentado as questões do porque e como, aquele Beatle oprimido chegaria a tanto, por fim os críticos passaram a conferir o que trazia aquele box com 3 discos, e mais uma vez ficaram admirados. "All Things Must Pass" trazia à tona um talento obscuro mantido de uma forma controlada não só pela dupla Lennon e Mc Cartney, que dominava o espaço de cada álbum lançado pelo ‘fab four’, assim como pela própria gravadora, afinal, quem iria mexer num time que anos a fio, sempre estava ganhando?

Por fim, as barreiras começaram a cair e nos últimos dias dos Beatles, Harrison passou a ter um espaço maior, ainda assim ínfimo, conseguido que uma de suas músicas, "Something", fizesse parte do lado "A" de um single da banda, e era de se suspeitar que por trás daquela figura quieta e oprimida, existia muito mais a ser mostrado, sendo "All Things Must Pass" a prova disso, a prova de quanto George Harrison tinha a nos oferecer, "desengavetando" músicas belíssimas, que possivelmente não chegariam ao conhecimento do público, caso os Beatles não acabassem naquele abril de 1970.

O álbum começou a ser gravado tão logo John, Paul, George e Ringo decidiram seguir caminhos separados. George contou com alguns integrantes da banda The Delaney and Bonnie Band e um time invejável de músicos que incluíam o também ex-Beatle Ringo Starr, Jim Gordon e Alan White (Plastic Ono Band / Yes), nas baterias, os baixistas Klaus Voormann e Carl Radle, os tecladistas Gary Wright, Bob Whitlock, Billy Preston, Gary Brooker (Procol Harum), os guitarristas Eric Clapton, Dave Mason, integrantes do Badfinger entre outros convidados. A produção ficou por conta do próprio Harrison e Phil Spector.

Entre as obras primas de "All Things Must Pass", algumas merecem algum comentário: "I'd Have You Anytime": Composta em parceria com Bob Dylan, esse tema lento abre o álbum, mais um fato incomum, afinal, como uma música lenta poderia abrir um álbum triplo?

"My Sweet Lord": Se tornaria o maior clássico de Harrison, mesmo com os problemas causados anos depois, que lhe custou um processo de plágio ganho pela banda The Chiffons, que acusou George de "roubar" o sucesso da banda "It's So Fine", gravado 5 anos antes. George perdeu o processo e teve que arcar com uma fortuna em direitos autorais. A edição que comemora os 30 anos do lançamento de "All Things Must Pass", traz uma regravação de "My Sweet Lord (2000)" com o filho Dhani Harrison numa das guitarras e os vocais adicionais da cantora Sam Brown.

"Isn't It A Pity": Foi o lado "B" do single que tinha no lado "A", "My Sweet Lord". Mais uma bela balada com a assinatura de Harrison. "What Is Life": Riff marcante em mais uma que se tornaria um clássico. "If Not For You": Essa é de Bob Dylan, que com George ganhou um vocal bem mais agradável que o de Dylan. "Behind That Locked Door": Uma da mais belas baladas, não só do álbum, como da carreira de George. "Apple Scruffs": Dedicada a um grupo de fãs dos Beatles, especialmente de George, daquelas que acampavam em frente do estúdio Abbey Road em Londres e que passavam horas, até mesmo dias, esperando seus heróis chegarem ou saírem das sessões de gravação.

"Ballad Of Sir Frankie Crisp (Let It Roll)": Mais uma pérola de Harrison com destaque ao piano Fender Rhodes. "All Thing Must Pass": A faixa título chama mais a atenção pela letra do que a música, dando a entender que Harrison se sentia aliviado com a separação dos Beatles e com o que viria a acontecer no futuro. Seria injustiça afirmar que "All Things Must Pass" sintetiza o melhor que Harrison fez em sua carreira solo, deixando de mencionar aqui alguns outros grandes trabalhos como "Living In The Material World" (73), que segue bastante a linha de "All Things Must Pass", "Dark Horse" (74), "Thirty Three & 1/3" (76), "Somewhere In England" (81), "Cloud Nine" (87), e "Live in Japan" (92). [FONTE]


Faixas:

Disco 1

1. I'd Have You Anytime
2. My Sweet Lord
3. Wah-Wah
4. Isn't It A Pity
5. What Is Life
6. If Not For You
7. Behind That Locked Door
8. Let It Down
9. Run Of The Mill
10. I Live For You
11. Beware Of Darkness
12. Let It Down
13. What Is Life
14. My Sweet Lord (2000)


Disco 2

1. Beware Of Darkness
2. Apple Scruffs
3. Ballad Of Sir Frankie Crisp (Let It Roll)
4. Awaiting On The Wall
5. All Things Must Pass
6. I Dig Love
7. Art Of Dying
8. Isn't It A Pity (Version Two)
9. Hear Me Lord
10. It's Johnny's Birthday
11. Plug Me In
12. I Remember Jeep
13. Thanks For The Pepperonni
14. Out Of The Blue


Baixe Aqui

Disco 1
Disco 2



.be cool.

3 comentários:

Anônimo disse...

Bom!!

Anônimo disse...

fenomenal...........
simplesmente o melhor instrumentista dos beatles, fez o melhor cd pós beatles.....
imperdível...

César disse...

Ótimo! Você consegue um link s/ ser RapidShare? Aqui nunca funciona!